Pediculose – Cuidado com o piolho

 
 Introdução à Pediculose
A Pediculose é uma doença causada pela infestação de um parasita popularmente conhecido como piolho. Esta doença pode se apresentar de três maneiras:

 	Pediculose do Couro Cabeludo: provocada… Read more

 

 Introdução à Pediculose

A Pediculose é uma doença causada pela infestação de um parasita popularmente conhecido como piolho. Esta doença pode se apresentar de três maneiras:

  • Pediculose do Couro Cabeludo: provocada pela presença do piolho (Pediculus humanus) e lêndeas presas nos fios de cabelo;
  • Pediculose do Corpo: provocada por piolhos e lêndeas que são depositadas nos pêlos e roupas dos indivíduos;
  • Pediculose Pubiana: causada pelo Phthirus pubis (vulgarmente chamado de chato) e lêndeas que são colocadas nos pêlos pubianos.

O piolho é um inseto pequeno, com cerca de 2,5 mm de comprimento, marrom-acinzentado e que vive do sangue que suga do couro cabeludo do homem parasitado. Com o acasalamento, a fêmea põe até 300 ovos férteis (lêndeas) em toda a sua vida, que ficam fortemente aderidos aos cabelos. Após uma semana, os ovos começam a descascar, ficando apenas a casca do ovo. Quando os ovos se rompem surgem as ninfas, que se tornam adultas em 4 horas, podendo haver, na seqüência, acasalamento e propagação do processo.

A transmissão da pediculose do couro cabeludo é dada pelo contato direto ou pelo uso de utensílios como bonés, escovas ou pentes de pessoas contaminadas, o que torna sua transmissão fácil. Atinge principalmente crianças em idade escolar e mulheres.

Sintomas: a doença tem como característica principal a coceira intensa no couro cabeludo, principalmente na parte de trás da cabeça e que pode atingir também o pescoço e a região atrás das orelhas. A intensa coceira no couro cabeludo pode ocasionar feridas que são portas de entrada para infecções bacterianas, além de causar estresse e baixo rendimento escolar.

Tratamento: Um dos passos importantes no tratamento é a retirada mecânica dos piolhos e lêndeas. Para isso deve-se passar freqüentemente o pente fino, no mínimo uma vez ao dia, após a lavagem do cabelo. Um pano branco deve ser usado quando o pente fino for utilizado, para evitar que os piolhos caiam na roupa. Após retirados, devem ser colocados em uma solução de vinagre diluído em água por uns 30 minutos, para que morram. Além do pente fino, uma outra pessoa deve analisar o couro cabeludo, retirando as lêndeas e piolhos um a um.

Além disso, o couro cabeludo deve receber uma solução composta de vinagre e água (diluído em água na proporção de 1:1), passada com algodão, que deve ser trocado sempre que necessário. A solução deve agir por uns 15 minutos. Esse processo pode ser repetido semana após semana.

Nunca usar querosene, NEOCIDÆ ou qualquer outro inseticida, pois são tóxicos ao ser humano.

Ferver os objetos pessoais, tais como: pentes, bonés, lençóis e roupas.

Prevenção: Por ser uma infestação que se espalha rapidamente, o ideal é que a criança infestada seja afastada da creche ou escola até que não haja mais nenhum “bichinho” ou ovo em sua cabeça. Porém, na maioria das vezes, isso não é possível, e mesmo as pessoas de casa também estão expostas à doença, portanto, algumas medidas devem ser tomadas para evitar a contaminação, lembrando que o piolho não escolhe idade, raça ou sexo. Crianças que freqüentemente apresentam piolhos, devem manter os cabelos curtos e examinar a cabeça em busca de parasitas, usando o pente fino sempre que chegarem da escola . As meninas de cabelos compridos devem ir à aula com os cabelos presos.

A escola deve ser comunicada quando a criança apresentar o parasita, para que os outros pais verifiquem a cabeça de seus filhos, de modo que todos sejam tratados ao mesmo tempo, interrompendo assim o ciclo de recontaminação. Manter a cabeça e o corpo sempre limpos. Não usar objetos pessoais, como bonés, lençóis e roupas, de pessoas contaminadas.

Author: admin

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Copyright 2014. PHARMACIA THERAPEUTICA. All Rights Reserved.